Náufragos do “Martin Pecheur” recolhidos pelos “Ás de Paus” e “Pátria e Liberdade”

Às de Paus
(Portugal)

Capitão:
Tipo: Barco de pesca
Tonelagem:
Proprietário:

Porto: Olhão
Construção:
Acontecimento: Salvou 11 tripulantes do navio de pesca francês "Martin Pecheur".

Pátria e Liberdade
(Portugal)

Capitão: 
Tipo: Galeão a Vapor de Pesca
Tonelagem: 26,15
Proprietário: Manuel de Brito

Porto:  Olhão
Construção: Vigo (1910)
Acontecimento: Recolheu 20 tripulantes do navio de pesca francês Martin Pecheur.

Na noite de 9 para 10 de Maio de 1941 dois barcos de pesca algarvios, o “Às de Paus” e o “Pátria e Liberdade”, recolheram respectivamente 11 e 16 tripulantes do bacalhoeiro francês “Martin Pecheur”, que se incendiou ao largo de Olhão, no Algarve, quando era transportado como presa de guerra para Gibraltar por uma guarnição britânica.

Os primeiros chegaram ao porto da cidade por volta das 23 horas. Segundo as notícias da época oito outros homens ainda chegaram aos portos de Olhão e Quarteira, mas não é claro se o fizeram por meios próprios ou a bordo de outras embarcações locais.

Tanto o “Às de Paus” como o “Pátria e Liberdade” pertenciam ao porto de Olhão, local onde deixaram os náufragos que tinham recolhido. Os 35 homens foram inicialmente instalados nos postos da Guarda Fiscal de Olhão, Quarteira e Faro e durante o dia 10 foram recebidos pelo cônsul francês de Faro que tratou das formalidades legais. Nessa mesma noite os 35 homens embarcaram no comboio para Lisboa onde chegaram às primeiras horas da manhã do dia 11 e de onde foram repatriados.

 

O afundamento do “Martin Pecheur”

O navio incendiou-se ao largo do Algarve e tanto o capitão do navio como o comandante do grupo de presa britânico atribuíram o fogo a causas acidentais.

O “Martin Pecheur” pertencia ao porto de Baiona, de onde havia saído para a pesca do bacalhau em fins de Abril. Os britânicos tinham recebido a informação do capitão de um outro bacalhoeiro que pelo menos três navios da frota tinham sido abordados pelos alemães para comunicarem via rádio as movimentações dos navios britânicos que encontrassem. Pelo menos um deles teria recebido 200.000 Francos para realizar a tarefa.

O “Martin Pecheur” não foi referido como fazendo parte deste grupo, mas esteve a pescar com os navios suspeitos e no dia de 1 de Maio de 1941 foi abordado, a Norte dos Açores, pelo navio de abordagem HMS Corinthians que colocou a bordo um grupo de presa que deveria escoltar o bacalhoeiro até Gibraltar.

Quando começou o fogo os franceses tentaram chegar a terra já que seria a garantia de que regressaria a casa. Os britânicos embarcaram em ou mais salva vidas do veleiro e partiram em direcção a Gibraltar onde chegaram sem mais incidentes no dia 12.

Martin Pecheur
(França)

Capitão:
Tipo: Lugre Bacalhoeiro
Tonelagem:
Proprietário:

Porto:
Construção:
Destino: A tripulação era suspeita de espionagem, razão porque o navio abordado pelo britânico Corinthian . Quando se dirigia para Gibraltar houve um incêndio a bordo e o navio afundou-se.




Fontes:

  • Arquivos: National Archives UK, Kew (GB); Arquivo Histórico do MNE (PT); Hemeroteca de Lisboa (PT); 
  • Livros & Publicações : Navios da Marinha Portuguesa, datas 1939 a 1945; Diário de Notícias; Diário de Lisboa; War Diarys 1939-1945;