Náufragos do britânico Cliftonhall conduzidos pelo Angoche II

Informação publicada no jornal "Notícias" de Lourenço Marques

Informação publicada no jornal "Notícias" de Lourenço Marques
(Notícias, 19 de junho de 1942)

Angoche II
(Portugal)

Capitão:
Tipo:
Tonelagem:
Proprietário:  

Porto:
Construção:

A 13 de junho de 1942 entraram em António Enes, Moçambique, 41 náufragos do Cliftonhall afundado um dia antes pelo submarino japonês I-16. Não é claro se chegaram á costa por meios próprios ou ajudados por uma embarcação portuguesa, pois enquanto a documentação britânica refere que foi o barco-motor Angoche II que os rebocou até à vila, uma notícia publicada num jornal local e outra literatura especializada dá entender que arribaram sozinhos.

Em António Enes foram alojados em casas particulares e com o gerente da Companhia Colonial de Angoche, que acolheu um grande número de recém-chegados. Foi distribuída comida, roupa e sapatos e os feridos, nenhum com gravidade, receberam tratamento médico do subdelegado de saúde na vila.

Após uma semana os tripulantes foram enviados para Lourenço Marques para serem repatriados para a África do Sul num dos muitos navios que ali aportavam.

O Cliftonhall foi torpedeado no dia 12 de junho, pelas 13 horas, pelo submarino japonês I-16. Dois homens morreram na explosão.

C. G.




Cliftonhall
(GB)

Capitão:
Tipo: Mercante a motor
Tonelagem: 5063 tb
Proprietário: West Hartlepool Steam Navigation Co. Ltd.

Porto:
Construção: Doxford W. & Sons, Inglaterra

Fontes:

National Archives UK, Kew (GB)  § Arquivo Histórico da Marinha (PT)  §  Arquivo Histórico do MNE (PT)  §  Shipping Company Losses of the second World War, Ian M. Malcolm  § Lista dos Navios da Marinha Portuguesa, datas 1939 a 1945 §  Wreksite.eu